Por que uma crise econômica da zona do euro parece uma possibilidade

 economia da zona do euro 6 19

O Banco Central Europeu (BCE) confirmou as especulações de que se tornará o último banco central a começar a aumentar as taxas de juros para tentar evitar a inflação. O banco deve aumentar as taxas em 0.25 ponto, para 0.25% para empréstimos e -0.25% para depósitos, com planos para outra alta na próxima reunião em setembro. Também reduzirá seu programa de compra de títulos do governo de países como Itália e Grécia, não aumentando as compras a cada mês no geral.

Todas as principais economias estão lutando com as dificuldades de tentar lidar com a inflação elevando as taxas de juros, sabendo que isso aumentará os custos dos empréstimos para consumidores e empresas e potencialmente causará uma recessão.

Mas para a zona do euro, a situação é complicada pelo fato de estar sustentando países endividados que não conseguem deflacionar suas moedas para superar a turbulência econômica. Se o BCE agora for muito duro com a inflação, pode criar um pânico no mercado que pode reviver a crise da zona do euro dos anos 2010.

A estagflação está de volta

As perspectivas globais para a inflação e a estabilidade econômica global se deteriorou significativamente nos últimos meses. Na inflação de 2021 para cima à medida que a demanda global se recuperou após a pandemia, mas redes de fornecimento não conseguia acompanhar - principalmente por causa A política de zero COVID da China. O aumento dos preços da energia foi uma parte importante do problema.

Muitos banqueiros centrais pensaram que isso foi temporário, e mesmo quando a inflação começou a aliviar na maioria das economias desenvolvidas no segundo semestre de 2021, isso parecia certo. Mas a invasão russa da Ucrânia quebrou a paz de décadas na Europa e trouxe três décadas de um “grande moderação” nos preços até o fim. Graças à pressão extra sobre os preços do petróleo e da energia, a inflação está aumentando em muitos países à frente do crescimento econômico.

A inflação também está começando a pesar na economia global de várias maneiras. As pessoas têm menos dinheiro, então não podem comprar tanto. E os investidores estão mais preocupados com as perspectivas, então estão mais relutantes em investir. As perspectivas de crescimento econômico global desaceleraram significativamente desde fevereiro. Por exemplo, o Banco Mundial apenas rebaixado sua previsão pela terceira vez em seis meses e atualmente prevê um crescimento de 2.9% em 2022.

O efeito sobre os títulos do governo

Diante dessa situação, os investidores também vêm descarregando títulos corporativos e governamentais. Eles temem que as perspectivas de inadimplência da dívida sejam maiores do que antes, e os retornos (rendimentos) dos títulos pareçam ainda piores do que antes, agora que a inflação está tão alta. Os preços dos títulos estão caindo, o que significa que os rendimentos (taxas de juros) estão subindo porque estão inversamente relacionados.

Os rendimentos da dívida dos países da zona do euro foram subindo acentuadamente, o que significa que está se tornando mais caro para eles tomarem empréstimos. Assim como na década de 2010, a maior pressão recai sobre os países cujas finanças públicas são mais pesadas, como Itália e Grécia. Mas mesmo a Alemanha, que tem sido o alicerce da prudência fiscal da zona do euro e desfrutou de rendimentos negativos (também conhecidos como empréstimos livres) durante a maior parte dos últimos três anos, também viu um aumento significativo.

Rendimentos dos títulos soberanos da zona do euro 2012-22

economia da zona do euro2 6 19
 Rendimentos das obrigações a 10 anos: Alemanha = amarelo; Grécia = turquesa; Itália = azul; Portugal = índigo; França = roxo; Espanha = laranja. Exibição de Negociação

A crise da zona do euro foi causada no início de 2010, quando os temores dos investidores sobre a solvência da Grécia, Espanha, Portugal e Irlanda levaram seus rendimentos de títulos a níveis onde eles precisavam de apoio do BCE – caso contrário, suas dívidas se tornariam inadministráveis ​​e provavelmente teriam que sair do euro.


 Receba as últimas por e-mail

Revista Semanal Melhor da Semana

Esse apoio veio na forma de empréstimos; programas de compra de títulos do Banco Central Europeu (BCE) para sustentar os preços; taxas de juros negativas; “criar” euros via flexibilização quantitativa (QE); e garantias do então presidente Mario Draghi de que o BCE faria “o que for preciso” para evitar um colapso.

Essas medidas são as Razão principal por que os rendimentos dos títulos permaneceram abaixo dos níveis ruinosos desde a década de 2010, com suporte à compra de títulos e QE mais recentemente fornecidos no início da pandemia, já que os países tiveram que emprestar ainda mais para lidar com isso. O BCE está atualmente com títulos do governo de estados membros no valor de cerca de € 5 trilhões (£ 4.3 trilhões), e atualmente está fazendo compras líquidas de mais de € 30 bilhões por mês.

Agora que os rendimentos estão subindo novamente, uma solução é o BCE compre ainda mais títulos desses países. No entanto, não é tão simples porque a compra de títulos sustentada pelo QE é outra razão para o aumento da inflação. De fato, um dos outros argumentos a favor desses movimentos na década de 2010 foi evitar a deflação, o que não é uma justificativa válida agora que a inflação está tão alta. A compra de títulos agora seria uma violação da estratégia do BCE de Inflação 2%.

Se fosse para aumentar a inflação, isso tornaria as perspectivas econômicas ainda piores. Isso poderia causar mais vendas de títulos que elevariam os rendimentos.

Em vez disso, o BCE está seguindo os gostos do Federal Reserve dos EUA e do Banco da Inglaterra e fazendo o oposto. O perigo de aumentar as taxas de juros e acabar com a compra de títulos é prejudicar a economia, o que pode deixar os investidores mais preocupados com as perspectivas e forçar os rendimentos dos títulos ainda mais altos. De fato, os rendimentos só aumentaram após a Sinalizado pelo BCE que estava potencialmente aberto a um aumento de 0.5 ponto percentual nas taxas em setembro, em um sinal de quão precária é essa situação.

Em suma, o BCE está enfrentando um dilema estranho, onde cada escolha de política potencialmente aumentará os riscos de uma repetição da crise da zona do euro dos anos 2010. A inflação é um negócio delicado, razão pela qual o economista austríaco Fridrich von Hayek comparei tentar “pegar um tigre pelo rabo”.

Se a inflação começar a cair à medida que o crescimento se deteriorar, a zona do euro pode de alguma forma evitar outra crise, porque então será mais fácil fazer mais QE e comprar mais títulos. Mas, enquanto isso, todos os olhos estarão voltados para os rendimentos dos títulos de países como Itália e Grécia para ver o quão alto eles sobem.

Sobre o autorA Conversação

Muhammad Ali Nasir, Professor Associado em Economia, Universidade de Leeds

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros recomendados:

Capital do Século XXI
por Thomas Piketty. (Traduzido por Arthur Goldhammer)

Capital na capa dura do século XXI por Thomas Piketty.In Capital no século XXI, Thomas Piketty analisa uma coleção única de dados de vinte países, desde o século XVIII, para descobrir os principais padrões econômicos e sociais. Mas as tendências econômicas não são atos de Deus. A ação política acabou com as desigualdades perigosas no passado, diz Thomas Piketty, e pode fazê-lo novamente. Uma obra de extraordinária ambição, originalidade e rigor, Capital do Século XXI reorienta nossa compreensão da história econômica e nos confronta com lições moderadoras para hoje. Suas descobertas vão transformar o debate e definir a agenda para a próxima geração de pensamento sobre riqueza e desigualdade.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza
por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.

A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.Qual é a natureza vale a pena? A resposta a esta pergunta-que tradicionalmente tem sido enquadrado em termos ambientais, está revolucionando a maneira como fazemos negócios. Dentro Fortune da naturezaMark Tercek, CEO da The Nature Conservancy e ex-banqueiro de investimentos, e o escritor de ciência Jonathan Adams argumentam que a natureza não é apenas a base do bem-estar humano, mas também o investimento comercial mais inteligente que qualquer empresa ou governo pode fazer. As florestas, várzeas e os recifes de ostras, muitas vezes vistos simplesmente como matéria-prima ou como obstáculos a serem eliminados em nome do progresso, são de fato tão importantes para nossa prosperidade futura quanto a tecnologia ou a lei ou a inovação empresarial. Fortune da natureza oferece um guia essencial para o bem-estar econômico e ambiental do mundo.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


Além Outrage: O que deu errado com a nossa economia e nossa democracia, e como corrigi-lo -- por Robert B. Reich

Além OutrageNeste livro oportuno, Robert B. Reich argumenta que nada de bom acontece em Washington, a menos que os cidadãos são energizados e organizados para fazer atos certeza de Washington no bem público. O primeiro passo é ver a imagem grande. Além Outrage liga os pontos, mostrando porque a participação crescente de renda e de riqueza indo para o topo tem prejudicado o crescimento eo emprego para todos, minando a nossa democracia; causado americanos a tornar-se cada vez mais cínico sobre a vida pública, e muitos americanos virou um contra o outro. Ele também explica por que as propostas do "direito regressivo" está absolutamente errado e fornece um roteiro claro do que deve ser feito. Aqui está um plano de ação para todos os que se preocupa com o futuro da América.

Clique aqui para mais informações ou para encomendar este livro na Amazon.


Isso muda tudo: ocupe Wall Street e o movimento 99%
por Sarah van Gelder e funcionários do SIM! Revista.

Isso muda tudo: Ocupe Wall Street e o Movimento 99% de Sarah van Gelder e equipe do YES! Revista.Isso muda tudo mostra como o movimento Occupy está mudando a maneira como as pessoas veem a si mesmas e ao mundo, o tipo de sociedade que acreditam ser possível e seu próprio envolvimento na criação de uma sociedade que trabalhe para o 99% em vez de apenas 1%. Tentativas de classificar esse movimento descentralizado e de rápida evolução levaram à confusão e percepção equivocada. Neste volume, os editores de SIM! Revista reunir vozes de dentro e de fora dos protestos para transmitir as questões, possibilidades e personalidades associadas ao movimento Occupy Wall Street. Este livro apresenta contribuições de Naomi Klein, David Korten, Rebecca Solnit, Ralph Nader e outros, além de ativistas do Occupy que estavam lá desde o início.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.



Você pode gostar

EMPODERAMENTO PESSOAL

Por que o Selfie não deve ser uma palavra suja
by Roanna Gonsalves, UNSW Austrália
Três anos atrás, em 18 de novembro de 2013, o Oxford English Dictionary nomeou o termo ...
Por que algumas pessoas podem fazer multitarefas on-line e outras não
by Peggy Alexopoulou, Universidade de Loughborough
A internet pode ser a fonte de informação mais abrangente já criada, mas também é o ...
Como o diário escrito é uma maneira de descobrir as respostas às suas perguntas
by Carlos Warter, MD, Ph.D.
Escrever em um diário é uma forma de descobrir as respostas às suas perguntas, de se expressar ...
Por que não dar uma pausa sobre tentando ser perfeito?
by Barbara Berger
No meu trabalho diário como terapeuta / coach, descobri que há uma coisa que todos nós temos em ...

Viver em harmonia

Dicas para manter os objetivos de treino de ano novo
by Caitlin Coyle
Definindo metas de treino para o ano novo? Aumentando a atividade física e visando melhorar o seu ...
A ciência desperta esperança nas pessoas e sua marca positiva não precisa ser…
by Todd Newman
Harley-Davidson é uma das marcas mais icônicas do mundo. Harley-Davidson, no entanto, não ...
Equipe encontra pegada de surto de coronavírus de 20 mil anos atrás
by Daniel Stolte, Universidade do Arizona
Uma epidemia de coronavírus estourou na região da Ásia Oriental há mais de 20,000 anos, pesquisadores ...
Como acertar as contas sobre vaping e doenças cardíacas
by Jamie Hartmann-Boyce
Em junho de 2019, um artigo de proeminentes acadêmicos dos EUA descobriu que as pessoas que usavam cigarros eletrônicos estavam ...

CONSCIÊNCIA SOCIAL

Os EUA caíram drasticamente nos rankings globais que medem a democracia…
by Kathleen Frydl
Os Estados Unidos podem se considerar um “líder do mundo livre”, mas um índice de desenvolvimento…
As florestas oceânicas são maiores que a Amazônia e mais produtivas do que nós…
by Albert Pessarrodona Silvestre, et al.
Ao largo da costa do sul da África encontra-se a Grande Floresta Marinha Africana, e a Austrália possui o…
Como o dinheiro digital mudou a forma como vivemos
by Daromir Rudnyckyj
Em termos simples, o dinheiro digital pode ser definido como uma forma de moeda que usa redes de computadores para…
Quando é inteligente ser lento: lições de um coala
by Danielle Clode
O coala estava agarrado a um velho veado enquanto estava encalhado no rio Murray, na fronteira…

À BEIRA

raízes do custo de vida 9 4

A crise do custo de vida já dura muitos anos

Kevin Albertson e Stevienna de Saille
Rios em todo o mundo estão secando e aqui está o porquê e o que podemos fazer sobre isso
by Catherine E. Russel
Rios ao redor do mundo estão secando recentemente. O Loire na França quebrou recordes em…
O Ártico está aquecendo mais rápido do que se pensava
by Jonathan Bamber
A Terra é aproximadamente 1.1 ℃ mais quente do que era no início da revolução industrial. Este…
As ondas de calor do Mediterrâneo podem devastar a vida marinha
by John Spicer
O oceano sustenta toda a vida em nosso planeta. Ele fornece comida para comer e oxigênio para respirar, enquanto…
Educação pública em apuros com a falta de 300 mil professores, funcionários da escola
by Julia Conley
Os sindicatos de professores vêm alertando há anos que o desinvestimento crônico nas escolas colocou…

Novas atitudes - Novas possibilidades

InnerSelf.comClimateImpactNews.com | InnerPower.net
MightyNatural.com | WholisticPolitics. com | Innerself Mercado
Copyright © 1985 - 2021 innerself Publications. Todos os direitos reservados.