Eis por que as faculdades estão sendo forçadas a fechar suas portas

Eis por que as faculdades estão sendo forçadas a fechar suas portas
O Marlboro College planeja fechar seu campus em Vermont após o ano escolar 2019-2020 e mudar seus programas para o Emerson College, em Boston. Wikimedia Commons, CC BY-NC-SA

Quando a Universidade Cristã de Cincinnati ficou ciente de sua matrícula em declínio e a diminuição das receitas de ensino na 2015, a universidade fez uma “série de apostas ousadas”Para se manter à tona.

Mas os movimentos ousados ​​acabaram sendo uma série de erros estratégicos. A escola começou um time de futebol, revisou sua missão e demitiu professores e funcionários para reduzir custos. Ele gastou a maior parte de sua dotação de $ 4 milhões, mas ainda estava US $ 6 milhões em dívida no 2018. Este semestre de outono será o último da escola.

O Cincinnati Christian College é um dentre um número crescente de faculdades e universidades - Faculdades privadas 21 desde 2016 - forçados a fechar suas portas por razões financeiras. A tendência também afetou o setor público. Finalmente Faculdades públicas 33 - incluindo faculdades comunitárias - se consolidaram em seus sistemas estaduais ou se fundiram com outras instituições desde a 2016.

Eis por que as faculdades estão sendo forçadas a fechar suas portas
A Universidade Cristã de Cincinnati está programada para fechar no final do 2019.
Wikimedia Commons, CC BY-NC-SA

E predições do futuro desaparecimento de outras faculdades são abundantes. Professor da Harvard Business School Clayton Christensen afirmou que metade de todas as faculdades e universidades fechará na próxima década. Embora essa visão possa ser excessivamente pessimista, um estudo descobriram que cerca de 800 dos aproximadamente 2,300 faculdades públicas e sem fins lucrativos de quatro anos no país exibiram características que os colocam em risco financeiro: eles tinham menos de estudantes 1,000, não tinham programas on-line, impunham aumentos anuais de pelo menos 8% e dependiam de taxas por 85 por cento ou mais de sua receita. Eles também descontaram sua mensalidade em 35 por cento ou mais.

Esses fechamentos de faculdades atrapalham a vida acadêmica dos estudantes, forçam professores e funcionários a encontrar trabalho em outros lugares e podem prejudicar a economia local.

Como professor de educação que atuou como diretor de matrículas em várias universidades nos anos 30, aqui estão quatro razões pelas quais acredito estarem por trás dos fechamentos.


Receba as últimas notícias do InnerSelf


1. Aumento de preços e dúvidas sobre valor

Converse com qualquer pai ou mãe de um estudante do ensino médio e eles expressarão preocupação com o custo da faculdade. Quando conduzi pesquisas como consultor de uma pequena faculdade, descobri que o preço era de longe o maior fator na maneira como pais e alunos escolheram uma faculdade.

Nesse estudo não publicado da 2019, o preço do adesivo foi a principal consideração para a porcentagem de pais da 51 ao fazer uma escolha na faculdade. Isso é três vezes o percentual da 17 que disse que a reputação acadêmica - conforme determinado pelo ranking da faculdade publicado por várias revistas - foi um fator importante.

Podemos esperar que mais faculdades enfrentem um declínio de matrículas à medida que os preços continuam aumentando. O College Board informa que as taxas e propinas médias triplicou em faculdades públicas de quatro anos e mais do que dobrou em faculdades privadas sem fins lucrativos do ano acadêmico 1989 para 2019 - após contabilizar a inflação.

À medida que os preços das faculdades continuam subindo, mais pessoas questionam se a faculdade vale o preço.

De acordo com uma 2019 pesquisa dos americanos da 1,389, apenas a 58% acha que as faculdades estão fazendo um trabalho "bom" ou "muito bom" de proporcionar aos alunos um retorno sobre o investimento. Embora a pesquisa tenha constatado que a porcentagem da 69 tinha visões favoráveis ​​de faculdades de quatro anos, os entrevistados também queriam faculdades para ajudar os alunos a adquirir as habilidades necessárias para conseguir um emprego bem remunerado.

Quando o valor da faculdade é questionado, as primeiras escolas que sofrem declínio nas matrículas são aquelas que não são muito conhecidas, não são muito seletivas, dependem muito das mensalidades e oferecem grandes descontos para atrair e manter os alunos.

2. Mudanças demográficas

Em meio ao aumento dos custos da faculdade, a diferença de renda entre ricos e pobres também está aumentando. De 1988 a 2018, o percentual inferior de 20% dos americanos, em termos de renda, teve um aumento percentual de 12 em sua renda, enquanto os que figuram no percentual superior de 20% tiveram um aumento de 51%, de acordo com The College Board.

Isto é particularmente verdade para famílias afro-americanas e hispânicas. Em seu livro 2015, "Ponto de parada, ”Jon McGee observa que a renda média das famílias afro-americanas e hispânicas é metade da renda de brancos e asiáticos.

Livro 2018 de Nathan Grawe, “Demografia e demanda por ensino superior, ”Mostra que, embora o número de graduados do ensino médio em todo o país aumente levemente entre agora e a 2025, esse número realmente diminuirá de 15-20% no Nordeste, que é o local onde estão localizadas muitas faculdades particulares e sem fins lucrativos. O aumento ocorre no sul e no sudoeste, principalmente na população hispânica, com renda média mais baixa. Grawe estima que a participação de hispânicos na faculdade aumentará em cerca de 5 pontos percentuais em relação à 2029, enquanto a matrícula total de alunos diminuirá em quase 8 por cento entre a 2025 e a 2029.

Portanto, embora as faculdades e universidades americanas devam inscrever um corpo discente mais diversificado nos próximos anos, elas também enfrentarão problemas financeiros à medida que menos estudantes se matricularem e mais famílias não tiverem os meios para pagar as mensalidades.

3. Faculdades como concorrentes

Costumava-se que as faculdades pudessem compartilhar informações dos alunos para garantir que pudessem oferecer um preço compatível com as necessidades da família de um aluno.

Tudo isso mudou no início dos 1990s, quando o Departamento de Justiça iniciou uma investigação antitruste de faculdades e universidades privadas e sem fins lucrativos da 57 por suposta fixação de preços. Um decreto de consentimento estipulava que as faculdades não podiam mais compartilhar dados de ajuda financeira de estudantes que se inscreveram em diferentes instituições.

Essa ação mudou o cenário competitivo para sempre, levando muitas faculdades a oferecer “bolsas de estudos” mais competitivas, que em muitos casos são na verdade descontos não baseados em necessidade. À medida que essa prática aumentava nos últimos anos, as faculdades disputavam entre si os estudantes, oferecendo bolsas de estudos mais generosas. Isso cria uma grande tensão financeira, pois as instituições gastam dinheiro que realmente não têm e renunciam à receita de que precisam.

4. Faculdades se movem muito lentamente

Faculdades e universidades não são conhecidas por comportamento ágil. As instituições que se movem rapidamente, como Southern New Hampshire, As universidades do Estado do Arizona e dos Governadores Ocidentais se beneficiam ao colocar novos programas no mercado à frente dos outros.

Mas isso não é verdade para a maioria. Brian Mitchell, um ex-presidente da Universidade Bucknell e agora consultor de ensino superior, afirma que muitos curadores estão "lamentavelmente despreparados" para enfrentar os desafios enfrentados por suas instituições. A maioria das faculdades trata de recusas de matrículas e de receitas simplesmente aumentando a taxa de desconto para matricular mais alunos. Isso, segundo Mitchell, demonstra um “mal-entendido fundamental sobre o estado geral do ensino superior” e dificulta a obtenção de mudanças significativas.

Levar a College of New Rochelle em Nova York, por exemplo. Os administradores descobriram “orçamentos fabricados” no 2016, pelo menos três anos após o fechamento desses orçamentos. Posteriormente, uma auditoria interna descobriu US $ 31.2 milhões em contas a pagar, incluindo impostos estaduais e federais sobre a folha de pagamento. A faculdade não foi fechada até a 2019. O conselho de administração não estava ciente da dívida, nem a dívida listada em sua auditoria anual. Atrasos nos erros de ação e gerenciamento mataram efetivamente essa instituição outrora vibrante.

O que é preciso para sobreviver

Em tempos de crise econômica e demográfica, a menor e a mais fraca das faculdades e universidades será desafiada a sobreviver. No entanto, se as instituições são claras sobre suas missões, mas desejam expandi-las; se eles apreciam a mudança de quem são seus alunos, quais programas eles oferecem e como eles entregam esses programas; e se eles anteciparem o impacto de ventos negativos negativos enquanto se movem com rapidez e inteligência, devem poder navegar pelas águas agitadas à sua frente e sobreviver.

Sobre o autor

Robert Massa, professor adjunto da Rossier School of Education, USC, University of Southern California

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros recomendados:

Capital do Século XXI
por Thomas Piketty. (Traduzido por Arthur Goldhammer)

Capital na capa dura do século XXI por Thomas Piketty.In Capital no século XXI, Thomas Piketty analisa uma coleção única de dados de vinte países, desde o século XVIII, para descobrir os principais padrões econômicos e sociais. Mas as tendências econômicas não são atos de Deus. A ação política acabou com as desigualdades perigosas no passado, diz Thomas Piketty, e pode fazê-lo novamente. Uma obra de extraordinária ambição, originalidade e rigor, Capital do Século XXI reorienta nossa compreensão da história econômica e nos confronta com lições moderadoras para hoje. Suas descobertas vão transformar o debate e definir a agenda para a próxima geração de pensamento sobre riqueza e desigualdade.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza
por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.

A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.Qual é a natureza vale a pena? A resposta a esta pergunta-que tradicionalmente tem sido enquadrado em termos ambientais, está revolucionando a maneira como fazemos negócios. Dentro Fortune da naturezaMark Tercek, CEO da The Nature Conservancy e ex-banqueiro de investimentos, e o escritor de ciência Jonathan Adams argumentam que a natureza não é apenas a base do bem-estar humano, mas também o investimento comercial mais inteligente que qualquer empresa ou governo pode fazer. As florestas, várzeas e os recifes de ostras, muitas vezes vistos simplesmente como matéria-prima ou como obstáculos a serem eliminados em nome do progresso, são de fato tão importantes para nossa prosperidade futura quanto a tecnologia ou a lei ou a inovação empresarial. Fortune da natureza oferece um guia essencial para o bem-estar econômico e ambiental do mundo.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


Além Outrage: O que deu errado com a nossa economia e nossa democracia, e como corrigi-lo -- por Robert B. Reich

Além OutrageNeste livro oportuno, Robert B. Reich argumenta que nada de bom acontece em Washington, a menos que os cidadãos são energizados e organizados para fazer atos certeza de Washington no bem público. O primeiro passo é ver a imagem grande. Além Outrage liga os pontos, mostrando porque a participação crescente de renda e de riqueza indo para o topo tem prejudicado o crescimento eo emprego para todos, minando a nossa democracia; causado americanos a tornar-se cada vez mais cínico sobre a vida pública, e muitos americanos virou um contra o outro. Ele também explica por que as propostas do "direito regressivo" está absolutamente errado e fornece um roteiro claro do que deve ser feito. Aqui está um plano de ação para todos os que se preocupa com o futuro da América.

Clique aqui para mais informações ou para encomendar este livro na Amazon.


Isso muda tudo: ocupe Wall Street e o movimento 99%
por Sarah van Gelder e funcionários do SIM! Revista.

Isso muda tudo: Ocupe Wall Street e o Movimento 99% de Sarah van Gelder e equipe do YES! Revista.Isso muda tudo mostra como o movimento Occupy está mudando a maneira como as pessoas veem a si mesmas e ao mundo, o tipo de sociedade que acreditam ser possível e seu próprio envolvimento na criação de uma sociedade que trabalhe para o 99% em vez de apenas 1%. Tentativas de classificar esse movimento descentralizado e de rápida evolução levaram à confusão e percepção equivocada. Neste volume, os editores de SIM! Revista reunir vozes de dentro e de fora dos protestos para transmitir as questões, possibilidades e personalidades associadas ao movimento Occupy Wall Street. Este livro apresenta contribuições de Naomi Klein, David Korten, Rebecca Solnit, Ralph Nader e outros, além de ativistas do Occupy que estavam lá desde o início.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.



enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}

DOS EDITORES

Chegou o dia do acerto de contas para o Partido Republicano
by Robert Jennings, InnerSelf.com
O partido republicano não é mais um partido político pró-América. É um partido pseudo-político ilegítimo, cheio de radicais e reacionários, cujo objetivo declarado é perturbar, desestabilizar e…
Por que Donald Trump poderia ser o maior perdedor da história
by Robert Jennings, InnerSelf.com
Atualizado em 2 de julho de 20020 - Toda essa pandemia de coronavírus está custando uma fortuna, talvez 2, 3 ou 4 fortunas, todas de tamanho desconhecido. Ah, sim, e centenas de milhares, talvez um milhão, de pessoas morrerão ...
Olhos Azuis vs Olhos Castanhos: Como o Racismo é Ensinado
by Marie T. Russell, InnerSelf
Neste episódio de 1992 da Oprah Show, a ativista e educadora anti-racismo premiada Jane Elliott ensinou ao público uma dura lição sobre racismo, demonstrando o quão fácil é aprender preconceito.
Uma mudança virá...
by Marie T. Russell, InnerSelf
(30 de maio de 2020) Ao assistir as notícias sobre os eventos na Filadélfia e em outras cidades do país, meu coração está doendo pelo que está acontecendo. Eu sei que isso faz parte da maior mudança que está ocorrendo…
Uma música pode elevar o coração e a alma
by Marie T. Russell, InnerSelf
Eu tenho várias maneiras que eu uso para limpar a escuridão da minha mente quando a vejo penetrar. Uma é a jardinagem, ou o tempo na natureza. O outro é o silêncio. Outra maneira é ler. E um que ...