O que é o padrão ouro e por que deveria permanecer no caixote do lixo da história?

Qual é o padrão ouro e por que deveria permanecer no caixote do lixo da história?
O padrão ouro não levou exatamente a uma era dourada.
Athitat Shinagowin / EyeEm via Getty Images 

A frase "o padrão ouro" significa, em linguagem comum, o melhor benchmark disponível - como em ensaios randomizados duplo-cegos são o padrão ouro para determinar a eficácia de uma vacina.

Seu significado provavelmente vem do meu mundo da economia e se refere ao que já foi o peça central do sistema monetário internacional, quando o valor da maioria das principais moedas, incluindo o dólar dos Estados Unidos, era baseado no preço do ouro.

Alguns economistas e outros, incluindo Presidente Donald Trump e sua Judy Shelton, indicada para o Conselho de Governadores do Federal Reserve, favorecem um retorno ao padrão ouro porque iria impor novas regras e "disciplina" em um banco central que consideram poderoso demais e cujas ações consideram falhas.

Este é um dos vários motivos pelos quais a nomeação de Shelton é polêmica no Senado, que votou contra a confirmação dela em 17 de novembro - embora seus apoiadores republicanos possam ter a oportunidade de tentar novamente.

Como economista com foco na política cambial, Eu passei muito tempo pesquisando política monetária e cambial. Uma retrospectiva do padrão ouro e por que o mundo parou de usá-lo mostra que é melhor deixá-lo como uma relíquia da história.

Estabilidade - em tempos bons

Um padrão ouro é um sistema de taxa de câmbio no qual a moeda de cada país é avaliada como valendo uma quantidade fixa de ouro.

Durante o final do século 19 e início do século 20, uma onça de ouro custou $ 20.67 nos Estados Unidos e ₤ 4.24 no Reino Unido. Isso significava que alguém poderia converter uma libra esterlina em $ 4.86 ​​e vice-versa.


 Receba as últimas notícias do InnerSelf


Países no padrão ouro - que incluiu todos os principais países industrializados durante o apogeu do sistema de 1871 a 1914 - tinha um preço fixo para uma onça de ouro e, portanto, uma taxa de câmbio fixa com outros que usavam o sistema. Eles mantiveram a mesma moeda de ouro durante todo o período.

O padrão ouro estabilizou os valores da moeda e, ao fazê-lo, promoveu o comércio e o investimento, fomentando o que tem sido chamado de primeira era da globalização. O sistema entrou em colapso em 1914 com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, quando a maioria dos países suspendeu seu uso. Posteriormente, alguns países como o Reino Unido e os EUA continuaram a confiar no ouro como peça central de suas políticas monetárias, mas as persistentes tensões geopolíticas e os altos custos da guerra o tornaram muito menos estável, mostrando suas graves falhas em tempos de crise.

O início da Grande Depressão finalmente forçou os Estados Unidos e outros países que ainda atrelavam suas moedas ao ouro a abandonar totalmente o sistema. Economista Barry Eichengreen encontrou que os esforços para manter o padrão ouro no início da Grande Depressão acabaram agravando a crise porque limitaram a capacidade de bancos centrais como o Fed de responder às condições econômicas em deterioração. Por exemplo, embora os bancos centrais hoje geralmente reduzam as taxas de juros para impulsionar uma economia vacilante, o padrão ouro exigia que eles se concentrassem apenas em manter sua moeda atrelada ao ouro.

O fim do ouro

Após a Segunda Guerra Mundial, as principais potências ocidentais adotaram um novo sistema monetário internacional que fez do dólar americano a moeda de reserva mundial.

Todas as moedas flutuavam em relação ao dólar, que era conversível em ouro a uma taxa de US $ 35 a onça. Uma variedade de pressões econômicas, políticas e globais nas décadas de 1960 e 1970 forçou o presidente Richard Nixon a abandonar o padrão ouro de uma vez por todas por 1971.

Desde então, as principais moedas, como o dólar americano, foram negociadas livremente nas bolsas globais e seu valor relativo é determinado pelas forças do mercado. O dólar no seu bolso é apoiado por nada mais do que a sua crença de que poderá comprar um cachorro-quente com ele.

Judy Shelton ainda tem chance de ser confirmada. (qual é o padrão ouro e por que deve permanecer no caixote do lixo da história)
Judy Shelton ainda tem chance de ser confirmada. O apoio de Shelton ao padrão ouro é apenas um dos motivos pelos quais sua nomeação teve problemas.
AP Photo / J. Scott Applewhite

Voltar aos anos 'dourados'?

Os argumentos para retornar ao padrão-ouro reaparecem periodicamente, normalmente em momentos em que a inflação está em alta, como no final dos anos 1970. Seus defensores afirmam que os banqueiros centrais são responsáveis ​​pelo aumento da inflação, por meio de políticas como taxas de juros baixas e, portanto, o padrão-ouro é necessário para controlá-los.

É particularmente estranho, no entanto, defender um padrão-ouro em uma época em que um dos principais problemas que um padrão ouro supostamente resolveria - inflação galopante - tem estado baixo por décadas.

Além disso, voltar ao padrão ouro criaria novos problemas. Por exemplo, o preço do ouro se move muito. Um ano atrás, uma onça de ouro custava $ 1,457. A pandemia ajudou a elevar o preço em 40%, para US $ 2,049 em agosto. Em 18 de novembro, era cerca de US $ 1,885. Claramente, seria desestabilizador se o dólar estivesse atrelado ao ouro quando seus preços oscilam violentamente. Taxas de câmbio entre as principais moedas são normalmente muito mais estáveis.

É importante ressaltar que voltar ao padrão ouro algemaria o Fed em seus esforços para lidar com as mudanças nas condições econômicas por meio da política de taxas de juros. O Fed não seria capaz de reduzir as taxas de juros diante de uma crise como a que o mundo enfrenta hoje, porque isso mudaria o valor do dólar em relação ao ouro.

O apoio de Shelton ao padrão ouro é apenas um dos motivos pelos quais sua nomeação teve problemas. Outras inclui sua falta de apoio para um Federal Reserve independente e motivações políticas aparentes em suas posições políticas. Por exemplo, economistas geralmente favorecem taxas de juros mais baixas quando o desemprego é alto e a economia está vacilando e taxas mais altas quando o desemprego é baixo e a economia é forte. Shelton se opôs a taxas baixas quando um democrata estava na Casa Branca e o desemprego era alto, mas os abraçou sob Trump, embora o desemprego fosse baixo.

Embora haja frequentemente um debate acalorado sobre a política monetária, o estudo de Shelton ideias estão tão longe do mainstream, e as suspeitas das motivações políticas de suas posições são tão proeminentes, que várias centenas economistas de destaque e Ex-alunos do Fed instaram o Senado a rejeitar sua nomeação.

O Federal Reserve é um agência independente isso é vital para a estabilidade econômica e a prosperidade da América. Assim como os tribunais, é importante que atue com integridade e livre de considerações políticas. É igualmente importante que não adote políticas desacreditadas como o padrão-ouro, que é um péssimo exemplo do aforismo que inspirou.

Sobre o autorA Conversação

Michael Klein, professor de Assuntos Econômicos Internacionais da Escola Fletcher, Tufts University

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros recomendados:

Capital do Século XXI
por Thomas Piketty. (Traduzido por Arthur Goldhammer)

Capital na capa dura do século XXI por Thomas Piketty.In Capital no século XXI, Thomas Piketty analisa uma coleção única de dados de vinte países, desde o século XVIII, para descobrir os principais padrões econômicos e sociais. Mas as tendências econômicas não são atos de Deus. A ação política acabou com as desigualdades perigosas no passado, diz Thomas Piketty, e pode fazê-lo novamente. Uma obra de extraordinária ambição, originalidade e rigor, Capital do Século XXI reorienta nossa compreensão da história econômica e nos confronta com lições moderadoras para hoje. Suas descobertas vão transformar o debate e definir a agenda para a próxima geração de pensamento sobre riqueza e desigualdade.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza
por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.

A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.Qual é a natureza vale a pena? A resposta a esta pergunta-que tradicionalmente tem sido enquadrado em termos ambientais, está revolucionando a maneira como fazemos negócios. Dentro Fortune da naturezaMark Tercek, CEO da The Nature Conservancy e ex-banqueiro de investimentos, e o escritor de ciência Jonathan Adams argumentam que a natureza não é apenas a base do bem-estar humano, mas também o investimento comercial mais inteligente que qualquer empresa ou governo pode fazer. As florestas, várzeas e os recifes de ostras, muitas vezes vistos simplesmente como matéria-prima ou como obstáculos a serem eliminados em nome do progresso, são de fato tão importantes para nossa prosperidade futura quanto a tecnologia ou a lei ou a inovação empresarial. Fortune da natureza oferece um guia essencial para o bem-estar econômico e ambiental do mundo.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


Além Outrage: O que deu errado com a nossa economia e nossa democracia, e como corrigi-lo -- por Robert B. Reich

Além OutrageNeste livro oportuno, Robert B. Reich argumenta que nada de bom acontece em Washington, a menos que os cidadãos são energizados e organizados para fazer atos certeza de Washington no bem público. O primeiro passo é ver a imagem grande. Além Outrage liga os pontos, mostrando porque a participação crescente de renda e de riqueza indo para o topo tem prejudicado o crescimento eo emprego para todos, minando a nossa democracia; causado americanos a tornar-se cada vez mais cínico sobre a vida pública, e muitos americanos virou um contra o outro. Ele também explica por que as propostas do "direito regressivo" está absolutamente errado e fornece um roteiro claro do que deve ser feito. Aqui está um plano de ação para todos os que se preocupa com o futuro da América.

Clique aqui para mais informações ou para encomendar este livro na Amazon.


Isso muda tudo: ocupe Wall Street e o movimento 99%
por Sarah van Gelder e funcionários do SIM! Revista.

Isso muda tudo: Ocupe Wall Street e o Movimento 99% de Sarah van Gelder e equipe do YES! Revista.Isso muda tudo mostra como o movimento Occupy está mudando a maneira como as pessoas veem a si mesmas e ao mundo, o tipo de sociedade que acreditam ser possível e seu próprio envolvimento na criação de uma sociedade que trabalhe para o 99% em vez de apenas 1%. Tentativas de classificar esse movimento descentralizado e de rápida evolução levaram à confusão e percepção equivocada. Neste volume, os editores de SIM! Revista reunir vozes de dentro e de fora dos protestos para transmitir as questões, possibilidades e personalidades associadas ao movimento Occupy Wall Street. Este livro apresenta contribuições de Naomi Klein, David Korten, Rebecca Solnit, Ralph Nader e outros, além de ativistas do Occupy que estavam lá desde o início.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.



enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

 Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}

Apoie um bom trabalho!

DOS EDITORES

Por que devo ignorar o COVID-19 e por que não vou
by Robert Jennings, InnerSelf.com
Minha esposa Marie e eu somos um casal misto. Ela é canadense e eu sou americano. Nos últimos 15 anos, passamos nossos invernos na Flórida e os verões na Nova Escócia.
Boletim InnerSelf: novembro 15, 2020
by Funcionários Innerself
Nesta semana, refletimos sobre a questão: "para onde vamos a partir daqui?" Assim como com qualquer rito de passagem, seja formatura, casamento, nascimento de um filho, uma eleição fundamental ou a perda (ou descoberta) de um ...
América: atrelando nosso vagão ao mundo e às estrelas
by Marie T Russell e Robert Jennings, InnerSelf.com
Bem, a eleição presidencial dos Estados Unidos já passou e é hora de fazer um balanço. Devemos encontrar um terreno comum entre jovens e velhos, democratas e republicanos, liberais e conservadores para realmente fazer ...
Boletim InnerSelf: outubro 25, 2020
by Funcionários Innerself
O "slogan" ou subtítulo do site InnerSelf é "Novas Atitudes --- Novas Possibilidades", e é exatamente esse o tema da newsletter desta semana. O objetivo de nossos artigos e autores é ...
Boletim InnerSelf: outubro 18, 2020
by Funcionários Innerself
Atualmente, vivemos em mini-bolhas ... em nossas próprias casas, no trabalho e em público e, possivelmente, em nossa própria mente e com nossas próprias emoções. No entanto, vivendo em uma bolha, ou sentindo que estamos ...