Por que as recessões assustam os jovens por toda a vida, até na aposentadoria

Por que as recessões assustam os jovens por toda a vida, até na aposentadoria Shutterstock

Está bem estabelecido que as recessões atingem mais os jovens.

Vimos isso em nossa recessão no início dos anos 1980, em nossa recessão no início dos anos 1990 e na que estamos entrando agora.

O mais recente dados da folha de pagamento mostra que, para a maioria das faixas etárias, o emprego caiu de 5% a 6% entre meados de março e maio. Para os trabalhadores na casa dos 20 anos, caiu 10.7%

A divergência mais dramática nas fortunas de jovens e idosos australianos ocorreu em meados da recessão da década de 1970, quando a taxa de desemprego para os jovens de 15 a 19 anos subiu de 4% para 10% no espaço de um ano. Um ano depois, eram 12% e 15% um ano depois disso.


Taxas de desemprego 1971-1977

Por que as recessões assustam os jovens por toda a vida, até na aposentadoria ABS 6203.0


Na época, entre 15 e 19 anos, os jovens conseguiam emprego. Apenas um terço completou o ano 12.


Receba as últimas notícias do InnerSelf


O que é menos conhecido é quanto tempo os efeitos duraram. Eles parecem estar presentes mais de 40 anos depois.

Os australianos que tinham entre 15 e 19 anos de idade na época da recessão de meados da década de 1970 nasceram no início da década de 1960.

Em quase todos os recentes bem-estar subjetivo pesquisa tiveram um desempenho pior do que os nascidos antes ou depois desse período.

O bem-estar subjetivo é determinado perguntando aos entrevistados como eles estão satisfeitos com suas vidas em uma escala de 0 a 10, onde 0 está totalmente insatisfeito e 10 totalmente satisfeito.

A Pesquisa de Domicílios, Renda e Dinâmica do Trabalho da Austrália (HILDA) faz a pergunta desde 2001.

Para comparar de maneira justa a satisfação com a vida de diferentes gerações, é necessário ajustar as descobertas para compensar outras coisas que afetam a satisfação, incluindo renda, sexo, estado civil, educação e status de emprego.

Fazer isso e selecionar as pesquisas de 2001, 2006, 2011 e 2016 para examinar como as crianças nascidas no início dos anos 1960 se saíram em relação às nascidas mais cedo e mais tarde mostra que, independentemente da idade na época da pesquisa, elas são menos satisfeito do que aqueles que nasceram em outros momentos.


Bem-estar subjetivo por coorte de nascimentos em quatro pesquisas HILDA

Por que as recessões assustam os jovens por toda a vida, até na aposentadoria Bem-estar subjetivo em uma escala de 0 a 10, em que 0 é totalmente insatisfeito e 10 é totalmente satisfeito. Regressões disponíveis mediante solicitação


A consistência de níveis mais baixos de bem-estar subjetivo relatados pela coorte de nascimentos de 1961-1965 sugere que algo teve um efeito duradouro.

Um candidato óbvio é o aumento dramático da taxa de desemprego juvenil na época em que muitos dessa faixa etária estavam tentando conseguir um emprego.

Com o tempo, os mercados de trabalho podem se recuperar, mas as cicatrizes de entrada no mercado de trabalho durante um período de alto desemprego repentino podem ser permanentes.

Os impactos das recessões do início dos anos 1980 e 1990 nos jovens foram atenuados de alguma forma pela duplicação da Taxa de retenção do ano 12 e depois pela duplicação de matrículas em universidades.

Mas o setor educacional está no máximo e pode não ser capaz de executar o mesmo truque pela terceira recessão consecutiva.

Revigorar a aprendizagem e fornecer cadetes para ocupações não comerciais podem ajudar. Caso contrário, os efeitos da recessão de 2020 em um grupo infeliz de australianos poderão permanecer conosco por um período muito longo.A Conversação

Sobre o autor

Jenny Chesters, professora sênior / pesquisadora, University of Melbourne

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros recomendados:

Capital do Século XXI
por Thomas Piketty. (Traduzido por Arthur Goldhammer)

Capital na capa dura do século XXI por Thomas Piketty.In Capital no século XXI, Thomas Piketty analisa uma coleção única de dados de vinte países, desde o século XVIII, para descobrir os principais padrões econômicos e sociais. Mas as tendências econômicas não são atos de Deus. A ação política acabou com as desigualdades perigosas no passado, diz Thomas Piketty, e pode fazê-lo novamente. Uma obra de extraordinária ambição, originalidade e rigor, Capital do Século XXI reorienta nossa compreensão da história econômica e nos confronta com lições moderadoras para hoje. Suas descobertas vão transformar o debate e definir a agenda para a próxima geração de pensamento sobre riqueza e desigualdade.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza
por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.

A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.Qual é a natureza vale a pena? A resposta a esta pergunta-que tradicionalmente tem sido enquadrado em termos ambientais, está revolucionando a maneira como fazemos negócios. Dentro Fortune da naturezaMark Tercek, CEO da The Nature Conservancy e ex-banqueiro de investimentos, e o escritor de ciência Jonathan Adams argumentam que a natureza não é apenas a base do bem-estar humano, mas também o investimento comercial mais inteligente que qualquer empresa ou governo pode fazer. As florestas, várzeas e os recifes de ostras, muitas vezes vistos simplesmente como matéria-prima ou como obstáculos a serem eliminados em nome do progresso, são de fato tão importantes para nossa prosperidade futura quanto a tecnologia ou a lei ou a inovação empresarial. Fortune da natureza oferece um guia essencial para o bem-estar econômico e ambiental do mundo.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


Além Outrage: O que deu errado com a nossa economia e nossa democracia, e como corrigi-lo -- por Robert B. Reich

Além OutrageNeste livro oportuno, Robert B. Reich argumenta que nada de bom acontece em Washington, a menos que os cidadãos são energizados e organizados para fazer atos certeza de Washington no bem público. O primeiro passo é ver a imagem grande. Além Outrage liga os pontos, mostrando porque a participação crescente de renda e de riqueza indo para o topo tem prejudicado o crescimento eo emprego para todos, minando a nossa democracia; causado americanos a tornar-se cada vez mais cínico sobre a vida pública, e muitos americanos virou um contra o outro. Ele também explica por que as propostas do "direito regressivo" está absolutamente errado e fornece um roteiro claro do que deve ser feito. Aqui está um plano de ação para todos os que se preocupa com o futuro da América.

Clique aqui para mais informações ou para encomendar este livro na Amazon.


Isso muda tudo: ocupe Wall Street e o movimento 99%
por Sarah van Gelder e funcionários do SIM! Revista.

Isso muda tudo: Ocupe Wall Street e o Movimento 99% de Sarah van Gelder e equipe do YES! Revista.Isso muda tudo mostra como o movimento Occupy está mudando a maneira como as pessoas veem a si mesmas e ao mundo, o tipo de sociedade que acreditam ser possível e seu próprio envolvimento na criação de uma sociedade que trabalhe para o 99% em vez de apenas 1%. Tentativas de classificar esse movimento descentralizado e de rápida evolução levaram à confusão e percepção equivocada. Neste volume, os editores de SIM! Revista reunir vozes de dentro e de fora dos protestos para transmitir as questões, possibilidades e personalidades associadas ao movimento Occupy Wall Street. Este livro apresenta contribuições de Naomi Klein, David Korten, Rebecca Solnit, Ralph Nader e outros, além de ativistas do Occupy que estavam lá desde o início.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.



enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}

DOS EDITORES

Boletim informativo InnerSelf: Setembro 6, 2020
by Funcionários Innerself
Vemos a vida pelas lentes de nossa percepção. Stephen R. Covey escreveu: “Nós vemos o mundo, não como ele é, mas como somos - ou, como somos condicionados a vê-lo.” Então, esta semana, vamos dar uma olhada em alguns ...
Boletim informativo InnerSelf: August 30, 2020
by Funcionários Innerself
As estradas que viajamos hoje em dia são tão antigas quanto os tempos, mas são novas para nós. As experiências que estamos tendo são tão antigas quanto os tempos, mas também são novas para nós. O mesmo vale para ...
Quando a verdade é tão terrível que dói, tome uma atitude
by Marie T. Russell, InnerSelf.com
Em meio a todos os horrores que acontecem nos dias de hoje, sou inspirado pelos raios de esperança que brilham. Pessoas comuns defendendo o que é certo (e contra o que é errado). Jogadores de beisebol, ...
Quando suas costas estão contra a parede
by Marie T. Russell, InnerSelf
Eu amo a internet Agora eu sei que muitas pessoas têm muitas coisas ruins a dizer sobre isso, mas eu adoro isso. Assim como amo as pessoas em minha vida - elas não são perfeitas, mas eu as amo mesmo assim.
Boletim informativo InnerSelf: August 23, 2020
by Funcionários Innerself
Todos provavelmente concordam que estamos vivendo em tempos estranhos ... novas experiências, novas atitudes, novos desafios. Mas podemos ser encorajados a lembrar que tudo está sempre em fluxo, ...