Como tornar suas compras on-line mais ecológicas

Como tornar suas compras on-line mais ecológicas
Shutterstock / grapestock

As compras online continuam a crescer a um ritmo fenomenal. No 2018, o valor de mercado do varejo britânico foi £ 381 bilhões das quais transações on-line constituídas quase um quinto. Isso representa £ 12.3 bilhões de itens de mercearia e £ 58.8 bilhões de todos os itens não alimentares adquiridos on-line.

Como em quase qualquer atividade humana, esse comportamento tem um impacto significativo no meio ambiente. As compras online usam toneladas de embalagens (o varejo britânico em geral usa 59 bilhões de peças plástico a cada ano) e um grande número de poluidor do ar entregas diárias nas estradas.

No entanto, existem maneiras pelas quais varejistas e consumidores podem usar a entrega em domicílio para reduzir o impacto ambiental de nossos hábitos de compra.

Faça compras on-line, atualmente dominado no Reino Unido pelos grandes nomes da Tesco (42.8% de participação de mercado), Asda (18.41%), Ocado (16.16%) e Sainsbury's (14.09%). Essas grandes organizações têm recursos suficientes para investir nos veículos mais limpos de emissão zero (predominantemente elétricos) para o serviço de entrega em domicílio.

As viagens que esses veículos fazem às residências dos clientes provavelmente apresentam uma pegada de carbono muito menor do que se esses clientes fossem ao supermercado. A entrega a vários clientes ao longo de uma viagem também reduz significativamente o número total de viagens necessárias.

O mesmo acontece com a grande variedade de slots de entrega disponibilizados pelos varejistas, juntamente com um número crescente de clientes como o popularidade da entrega em domicílio cresce. Todos esses fatores permitem que os varejistas otimizem as rotas de entrega e reduzam seu impacto ambiental.

Porém, para entrega em domicílio que não seja de alimentos, o estágio final de entrega ao cliente geralmente não é gerenciado diretamente pelos varejistas, mas terceirizado para correios independentes. Essa natureza fragmentada da prestação de serviços de "última milha" significa que é menos provável que haja o mesmo investimento em veículos de baixa emissão. De fato, muitos correios trabalham por conta própria, usando seus veículos pessoais para entregar encomendas.


Receba as últimas notícias do InnerSelf


As entregas on-line não relacionadas a alimentos também exigem que cada item seja embalado não apenas individualmente, mas também protegido por embalagens adicionais para evitar danos durante o transporte.

Entrega sem demora

Outra tendência que tem um grande impacto no meio ambiente é a oferta de entregas no dia seguinte (e até no mesmo dia). Para itens não alimentícios, isso significa sempre ter estoque disponível - o que requer mais espaço para mantê-lo e mais energia para armazená-lo e movê-lo. De uma perspectiva de alimentos frescos, a oferta de disponibilidade constante resulta em aumento níveis de desperdício de alimentos.

Além disso, para atender a esses requisitos de entrega rápida, são necessários veículos adicionais para garantir uma entrega rápida - geralmente em veículos com carga parcial.

Outro ponto a considerar é que as entregas on-line não substituem necessariamente nossas próprias jornadas às lojas, resultando em um aumento na pegada líquida de carbono. E pesquisa indica que os retornos das compras on-line são significativamente maiores do que as compras nas lojas, resultando em níveis mais altos de desperdício e transporte.

No entanto, existem escolhas que os consumidores podem fazer para reduzir o impacto que suas decisões de compra têm no meio ambiente.

Opções mais ecológicas

Quando curtas distâncias (menos de 3km, digamos) existem entre comprador e varejista, é benéfico para o meio ambiente fazer compras na loja. Somente quando entregas mais longas são necessárias, a entrega on-line se torna uma opção mais ecológica.

Sempre que possível, os clientes que desejam se beneficiar de uma experiência de compra on-line devem optar pela opção de clicar e cobrar na loja, reduzindo as demandas logísticas do fornecedor.

As caixas de armários, onde você recebe a entrega em um armário seguro, oferecem um bom compromisso entre aumentar a conveniência e reduzir o impacto ambiental. Outra iniciativa ecológica, de última milha, é o crowdsourcing, onde membros do público entregam pacotes como parte de sua jornada planejada por uma pequena taxa.

Do ponto de vista das embalagens, mais e mais varejistas agora estão oferecendo opções ou alternativas sem sacolas para sacolas plásticas. Consumidores com consciência ambiental devem procurar varejistas que ofereçam essas opções.

Como tornar suas compras on-line mais ecológicas
Uma opção verde?
Shutterstock / Jevanto Productions

De forma encorajadora, os varejistas estão bem cientes de todos esses desafios - e muitos estão trabalhando duro para resolver questões ambientais. Há um aumento no uso de embalagens biodegradáveis ​​em toda a cadeia de suprimentos e um foco maior no “fechamento do ciclo” - onde os varejistas estão assumindo a responsabilidade para reutilizar e reciclar produtos.

Mas há elementos da abordagem atual das compras on-line que simplesmente não são sustentáveis. Estes precisam ser abordados com urgência para enfrentar os desafios globais relacionados à qualidade do ar e ao aquecimento global. No geral, a sustentabilidade ambiental do mercado de varejo é um enigma complexo. Porém, escolhas simples do consumidor podem ajudar muito a tornar a maneira como fazemos compras mais ecológicas.A Conversação

Sobre os Autores

Stuart Milligan, Gerente Acadêmico de Compras, Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos, Universidade de South Wales e Baris Yalabik, Professor Sênior em Operações e Gerenciamento de Suprimentos, University of Bath

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros recomendados:

Capital do Século XXI
por Thomas Piketty. (Traduzido por Arthur Goldhammer)

Capital na capa dura do século XXI por Thomas Piketty.In Capital no século XXI, Thomas Piketty analisa uma coleção única de dados de vinte países, desde o século XVIII, para descobrir os principais padrões econômicos e sociais. Mas as tendências econômicas não são atos de Deus. A ação política acabou com as desigualdades perigosas no passado, diz Thomas Piketty, e pode fazê-lo novamente. Uma obra de extraordinária ambição, originalidade e rigor, Capital do Século XXI reorienta nossa compreensão da história econômica e nos confronta com lições moderadoras para hoje. Suas descobertas vão transformar o debate e definir a agenda para a próxima geração de pensamento sobre riqueza e desigualdade.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza
por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.

A fortuna da natureza: como os negócios e a sociedade prosperam investindo na natureza por Mark R. Tercek e Jonathan S. Adams.Qual é a natureza vale a pena? A resposta a esta pergunta-que tradicionalmente tem sido enquadrado em termos ambientais, está revolucionando a maneira como fazemos negócios. Dentro Fortune da naturezaMark Tercek, CEO da The Nature Conservancy e ex-banqueiro de investimentos, e o escritor de ciência Jonathan Adams argumentam que a natureza não é apenas a base do bem-estar humano, mas também o investimento comercial mais inteligente que qualquer empresa ou governo pode fazer. As florestas, várzeas e os recifes de ostras, muitas vezes vistos simplesmente como matéria-prima ou como obstáculos a serem eliminados em nome do progresso, são de fato tão importantes para nossa prosperidade futura quanto a tecnologia ou a lei ou a inovação empresarial. Fortune da natureza oferece um guia essencial para o bem-estar econômico e ambiental do mundo.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.


Além Outrage: O que deu errado com a nossa economia e nossa democracia, e como corrigi-lo -- por Robert B. Reich

Além OutrageNeste livro oportuno, Robert B. Reich argumenta que nada de bom acontece em Washington, a menos que os cidadãos são energizados e organizados para fazer atos certeza de Washington no bem público. O primeiro passo é ver a imagem grande. Além Outrage liga os pontos, mostrando porque a participação crescente de renda e de riqueza indo para o topo tem prejudicado o crescimento eo emprego para todos, minando a nossa democracia; causado americanos a tornar-se cada vez mais cínico sobre a vida pública, e muitos americanos virou um contra o outro. Ele também explica por que as propostas do "direito regressivo" está absolutamente errado e fornece um roteiro claro do que deve ser feito. Aqui está um plano de ação para todos os que se preocupa com o futuro da América.

Clique aqui para mais informações ou para encomendar este livro na Amazon.


Isso muda tudo: ocupe Wall Street e o movimento 99%
por Sarah van Gelder e funcionários do SIM! Revista.

Isso muda tudo: Ocupe Wall Street e o Movimento 99% de Sarah van Gelder e equipe do YES! Revista.Isso muda tudo mostra como o movimento Occupy está mudando a maneira como as pessoas veem a si mesmas e ao mundo, o tipo de sociedade que acreditam ser possível e seu próprio envolvimento na criação de uma sociedade que trabalhe para o 99% em vez de apenas 1%. Tentativas de classificar esse movimento descentralizado e de rápida evolução levaram à confusão e percepção equivocada. Neste volume, os editores de SIM! Revista reunir vozes de dentro e de fora dos protestos para transmitir as questões, possibilidades e personalidades associadas ao movimento Occupy Wall Street. Este livro apresenta contribuições de Naomi Klein, David Korten, Rebecca Solnit, Ralph Nader e outros, além de ativistas do Occupy que estavam lá desde o início.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.



enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}