Como o Buda se tornou um santo cristão

Como o Buda se tornou um santo cristão
Josaphat senta Sonhando em uma paisagem, da Oficina de Diebold Lauber, c 1469. Museu Getty

A partir do século 11, o Lenda de Barlaam e Josaphat desfrutou de uma popularidade no oeste medieval alcançada talvez por nenhuma outra lenda. Estava disponível em mais de 60 versões nos principais idiomas da Europa, Oriente Cristão e África. Era mais familiar para os líderes ingleses por sua inclusão na tradução de William Caxton de 1483 da Lenda dourada.

Os leitores europeus pouco sabiam que a história que eles amavam da vida de São Josaphat era de fato a de Sidarta Gautama, o Buda, o fundador do budismo.

A vida ascética

Segundo a lenda, reinou na Índia um rei chamado Abenner, imerso nos prazeres do mundo. Quando o rei teve um filho, Josaphat, um astrólogo predisse que abandonaria o mundo. Para evitar esse resultado, o rei ordenou a construção de uma cidade para seu filho, da qual foram excluídas pobreza, doença, velhice e morte.

Mas Josaphat viajou para fora da cidade, onde encontrou, em uma ocasião, um cego e um horrivelmente deformado e, em outra ocasião, um velho sobrecarregado de doenças. Ele percebi a impermanência de todas as coisas:

Não há mais doçura nesta vida transitória, agora que eu vi essas coisas [...] A morte gradual e repentina estão unidas.

Enquanto vivia essa crise espiritual, o sábio Barlaam do Sri Lanka alcançou Josaphat e falou sobre a rejeição de atividades mundanas e a aceitação do ideal cristão da vida ascética. O príncipe Josaphat foi convertido ao cristianismo e começou a praticar o ideal da vida espiritual de pobreza, simplicidade e devoção a Deus.

Cenas da história de Jeosafá da BíbliaCenas da história de Jeosafá da Bíblia. Augsburg, G. Zainer, c.1475. Museus de arte de Harvard / Fogg Museum, presente de Paul J. Sachs


Receba as últimas notícias do InnerSelf


Para impedir sua busca, seu pai o cercou de donzelas sedutoras que "o atormentavam com todo tipo de tentação com a qual procuravam despertar seu apetite".

Josaphat resistiu a todos.

Após a morte de seu pai, Josaphat permaneceu determinado a continuar sua vida ascética e abdicou do trono. Ele viajou para o Sri Lanka em busca de Barlaam. Depois de uma missão de dois anos, Josaphat encontrou Barlaam vivendo nas montanhas e se juntou a ele em uma vida de ascetismo até sua morte.

Um grande santo

Barlaam e Josaphat foram incluídos nos calendários dos santos nas igrejas ocidentais e orientais. No século 10, eles foram incluídos nos calendários das igrejas orientais e no final do século 13 nos da igreja católica.

No livro que conhecemos como As viagens de Marco Polo, publicado por volta do ano 1300, Marco deu ao Ocidente sua primeira conta da vida de Buda. Ele declarou que - se o Buda fosse cristão - "ele teria sido um grande santo [...] pela vida boa e pura que conduzia".

Em 1446, um astuto editor da Travels notou a semelhança. "É como a vida de São Iosafá", ele declarou.

Foi, no entanto, apenas no século 19 o Ocidente tornou-se consciente do budismo como uma religião por si só. Como resultado da edição e tradução das escrituras budistas datadas (do primeiro século AEC) a partir da década de 1830, informações confiáveis ​​sobre a vida do fundador do budismo começaram a crescer no Ocidente.

Então o Ocidente conheceu a história do jovem príncipe indiano, Gautama, cujo pai - temeroso que o filho abandonasse o mundo - o manteve isolado em seu palácio. Como Josaphat, Gautama acabou encontrando a velhice, a doença e a morte. E, como Josaphat, ele deixou o palácio para viver uma vida ascética em busca do significado do sofrimento.

Depois de muitas provações, Gautama sentou-se sob a árvore Bodhi e finalmente alcançou a iluminação, tornando-se um Buda.

Somente em 1869 esse conhecimento recém-encontrado no Ocidente sobre a vida de Buda levou inevitavelmente à percepção de que, em sua aparência de São Josaphat, o Buda havia sido um santo na cristandade há cerca de 900 anos.

Conexões íntimas

Como a história do Buda se tornou a de Josafá? O processo foi longo e complicado. Essencialmente, a história do Buda, que começou na Índia em língua sânscrita, viajou para o leste da China, depois para o oeste ao longo da Rota da Seda, onde foi influenciada pelo ascetismo da religião dos Maniquees.

Foi então transposto para árabe, grego e latim. Destas versões em latim, seria traduzido para várias línguas européias.

Anos antes, o Ocidente sabia algo sobre o Buda, sua vida e o ideal ascético que ele simbolizava eram uma força positiva na vida espiritual dos cristãos.

A lenda de Barlaam e Josaphat demonstra poderosamente as conexões íntimas entre budismo e cristianismo em seu compromisso com a vida religiosa ascética, meditativa e mística.

Poucos santos cristãos têm uma reivindicação melhor desse título que o Buda.

Numa época em que a espiritualidade budista de "atenção”Está muito na agenda ocidental, precisamos estar atentos à longa e positiva história da influência do budismo no Ocidente. Através da história de Barlaam e Josaphat, a espiritualidade budista desempenhou um papel significativo em nossa herança ocidental nos últimos mil anos.A Conversação

Sobre o autor

Philip C. Almond, professor emérito de História do Pensamento Religioso, A, universidade, de, queensland

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}

DOS EDITORES

Boletim informativo InnerSelf: Setembro 27, 2020
by Funcionários Innerself
Uma das grandes forças da raça humana é nossa capacidade de ser flexível, criativo e pensar inovador. Para ser outra pessoa que não éramos ontem ou anteontem. Nós podemos mudar...…
O que funciona para mim: "Para o bem mais elevado"
by Marie T. Russell, InnerSelf
O motivo pelo qual compartilho "o que funciona para mim" é que pode funcionar para você também. Se não for exatamente como eu faço, já que somos todos únicos, alguma variação de atitude ou método pode muito bem ser algo ...
Você foi parte do problema da última vez? Você fará parte da solução desta vez?
by Robert Jennings, InnerSelf.com
Você se registrou para votar? Você votou? Se você não vai votar, você será parte do problema.
Boletim informativo InnerSelf: Setembro 20, 2020
by Funcionários Innerself
O tema da newsletter desta semana pode ser resumido em “você pode fazer” ou mais especificamente “nós podemos fazer isso!”. Esta é outra forma de dizer "você / nós temos o poder de fazer uma mudança". A imagem de ...
O que funciona para mim: "I Can Do It!"
by Marie T. Russell, InnerSelf
O motivo pelo qual compartilho "o que funciona para mim" é que pode funcionar para você também. Se não for exatamente como eu faço, já que somos todos únicos, alguma variação de atitude ou método pode muito bem ser algo ...