Planejando uma viagem? Top Nove Dicas de Viagem

Planejando uma viagem? Top Nove Dicas de Viagem

Eu percebi muito cedo que, para mim, viajar era a melhor forma de aprendizagem. Eu ainda tenho uma alma peregrina, e eu pensei que eu iria usar este blog para passar em algumas das lições que aprendi, na esperança de que possam ser úteis a outros peregrinos como eu.

1. Evite museus. Isso pode parecer absurdo para ser um conselho, mas vamos pensar um pouco: se você está numa cidade estrangeira, não é muito mais interessante ir em busca do presente que do passado? É justo que as pessoas se sentem obrigadas a ir a museus, porque aprenderam desde pequeninas que viajar é buscar este tipo de cultura. Obviamente que museus são importantes, mas exigem tempo e objetividade - você precisa saber o que você deseja ver ali, ou vai sair com uma sensação de ter visto algumas coisas realmente fundamentais, exceto que você não consegue lembrar o que eram.

2. Sair em bares. Bares são os lugares onde a vida na cidade se revela, não em museus. Por barras não me refiro discotecas, mas lugares onde o povo vai, tomar uma bebida, pensa no tempo, e estão sempre prontos para uma conversa. Compre um jornal e aproveitar o fluxo e refluxo de pessoas. Se alguém começa a conversar, porém tola, juntar-se: você não pode julgar a beleza de um caminho só de olhar para o portão.

3. Ser aberta. O melhor guia de turismo é alguém que vive no lugar, conhece tudo, tem orgulho de sua cidade, mas não funciona para qualquer agência. Vá para a rua, escolha a pessoa que você deseja conversar, e peça informações (onde fica tal catedral? Onde estão os Correios?). Se nada vem dele, tente outra - garanto que no final do dia você vai ter encontrado uma excelente companhia.

Planejando uma viagem? Top Nove Dicas de Viagem4. Procure viajar sozinho, ou - ser for casado - com seu cônjuge. Vai dar mais trabalho, ninguém vai estar cuidando de você, mas só desta maneira poderá realmente sair do seu próprio país para trás. Viajar com um grupo é uma maneira de estar em um país estrangeiro ao falar sua língua materna, fazendo o que o líder do bando lhe diz para fazer, e cada vez mais interessada em fofocas do grupo do que no lugar que você está visitando.

5. Não compare. Não compare nada - preços, normas de higiene, qualidade de vida, meios de transportes, nada! Você não está viajando para provar que você tem uma vida melhor que as outras pessoas - seu objetivo é descobrir como outras pessoas vivem, o que pode lhe ensinar, como eles lidam com a realidade e com o extraordinário.

6. Entenda que todo mundo lhe entende. Mesmo se você não falar a língua, não tenha medo: já estive em muitos lugares onde eu não podia se comunicar com palavras em tudo, e eu sempre achei apoio, orientação, conselhos úteis, e até mesmo namoradas. Algumas pessoas pensam que, se viajar sozinho, eles vão definir a descer a rua e se perder para sempre. Apenas certifique-se que você tem o cartão do hotel no seu bolso e - se o pior vem a pior - tomar um táxi e mostrar o cartão para o motorista.


Receba as últimas notícias do InnerSelf


7. Não compre muito. Gaste seu dinheiro em coisas que você não vai precisar carregar: ingressos para um bom jogo, restaurantes, passeios. Hoje em dia, com a economia global ea Internet, você pode comprar o que quiser sem ter que pagar excesso de bagagem.

8. Não tente ver o mundo em um mês. É muito melhor ficar em uma cidade de quatro ou cinco dias, que visitar cinco cidades em uma semana. A cidade é uma mulher caprichosa: ela leva tempo para ser seduzida e mostrar-se completamente.

9. Uma viagem é uma aventura. Henry Miller dizia que é muito mais importante descobrir uma igreja que ninguém nunca ouviu falar do que ir a Roma e sentir-se obrigado a visitar a Capela Sistina com duzentos mil turistas gritando outros em seu ouvido. Por todos os meios ir para a Capela Sistina, mas vaguear pelas ruas, também, explorar becos, sentir a liberdade de olhar para alguma coisa - exatamente o que você não sabe - mas que, se você encontrá-lo, vai - você pode ter certeza - a mudança sua vida.

Este artigo foi reimpresso com permissão
de Blog de Paulo Coelho.

Livro deste autor

Guerreiro da Luz: Um Manual de Paulo Coelho

Guerreiro da Luz: Um Manual
por Paulo Coelho.

Clique aqui para mais informações e / ou para encomendar este livro na Amazon.

Sobre o autor

Paulo Coelho, autor do artigo: O Inimigo Interior: Governado pelo Medo e a Necessidade de SegurançaPaulo Coelho é autor de numerosos livros, dos quais o primeiro a se tornar um sucesso, O Alquimista passou a vender mais de 65 milhão de cópias, tornando-se um dos livros mais vendidos da história. Foi traduzido em mais de 70 línguas, o 71st ser maltês, vencendo o Guinness World Record para o livro mais traduzido por um autor vivo. Desde a publicação do O Alquimista, Paulo Coelho tem geralmente escrito um romance a cada dois anos, incluindo Pela margem do rio Piedra eu sentei e chorei, O Monte Cinco, Veronika Decide Morrer, O Demônio ea Srta Prym, Onze Minutos, Como o Rio Fluir, As Valkírias e A Bruxa de Portobello. Visite seu Web site em www.paulocoelho.com

enafarzh-CNzh-TWnltlfifrdehiiditjakomsnofaptruessvtrvi

siga InnerSelf on

facebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}