Sua dieta de experiência está deixando você doente?

saúde

Sua dieta de experiência está deixando você doente?

Assim como a nossa dieta alimentar afeta nossa saúde física e emocional, nossa dieta de experiência também é. Esta é a mistura do dia-a-dia das coisas que fazemos, vemos, ouvimos e sentimos. E, assim como nossa dieta alimentar, a quantidade, a qualidade e o equilíbrio dessas experiências precisam estar certas.

Isso ocorre porque atender às nossas necessidades depende de experimentar uma ampla gama de oportunidades e qualidades. Embora não seja uma lista abrangente, isso inclui coisas como fazer exercício, comida e água suficientes, conectar-se com os outros, pertencer e experimentar beleza e natureza.

Infelizmente, muitos de nós temos estilos de vida que tornam difícil ou mesmo impossível atender a todas essas necessidades. Isso diminui nossas vidas e nos deixa isolado e doente. Isso acontece por vários motivos, entre os quais a variedade de experiências que o nosso entorno nos convida a desfrutar, suportar ou perder.

O que há no seu menu de experiência?

Você pode chamar isso de nosso menu de experiência. Se não estiver no cardápio, não estará em nossa dieta.

Sua dieta de experiência está deixando você doente?Menus de experiência contrastantes oferecidos em duas cidades semelhantes. Jenny Donovan, Autor fornecida

Se o menu de experiência de sua comunidade não tem coisas que são boas para você e oferece muitas coisas que são ruins para você, a boa saúde se torna mais difícil de manter. A verdade é que nem sempre somos bons em identificar nossas necessidades e somos facilmente influenciados por nossos desejos. Um exemplo é escolher dirigir ao invés de andar, mesmo para viagens curtas.

Para adicionar ao problema, algo que precisa ser preenchido pode estar no menu, mas ser tão mal apresentado a ponto de ser bem desagradável. Em lugares como este, é possível caminhar, pedalar, conectar-se com os outros, definir e enfrentar desafios autodeterminados ou fazer qualquer outra coisa que você precise fazer para atender às suas necessidades. No entanto, é menos provável. E, se você escolher essas opções, essas boas experiências provavelmente terão um custo, expondo as pessoas ao medo, ao tédio ou a outras emoções desagradáveis.

Sua dieta de experiência está deixando você doente?Uma experiência de caminhada mal apresentada (à esquerda) é menos provável de ser escolhida no menu de oportunidades urbanas em comparação a uma experiência de caminhada bem apresentada (à direita). Jenny Donovan, Autor fornecida

Muitos de nós têm uma dieta de experiência inadequada, com muita ênfase nos “grupos de experiência” pouco saudáveis ​​- experiências isolantes, sedentárias e estressantes. Isto é o equivalente a uma dieta rica em gordura, sal e açúcar, e baixa em vegetais de folhas verdes. E tem os mesmos resultados: obesidade, maior vulnerabilidade a uma série de doenças não transmissíveis e problemas gerais de saúde. Você pode dizer que tais ambientes construídos são todos fast food e não salada.

A boa notícia é que, em cidades que estão se renovando para sempre, podemos mudar isso. Podemos usar um bom design para colocar toda a gama de comportamentos de apoio à saúde no menu de experiência. Isso significa tornar os comportamentos que satisfazem as necessidades não apenas possíveis, mas também preferíveis, por isso uma dieta saudável e variada, com a quantidade e qualidade certas, e incluindo um pouco do que você gosta, torna-se a escolha fácil (ou mais fácil).

Então, como podemos fazer isso?

Conforme explorado no meu livro recente, Projetando a cidade compassiva, podemos ajudar as pessoas a melhorar sua dieta de experiência pensando nas recompensas que um lugar lhes oferece por estarem lá e usar o lugar de maneiras específicas. Sua motivação para fazer as coisas que atendem as necessidades vem da atração do lugar, bem como o impulso de seu desejo de atender a essa necessidade. Ao enquadrar as oportunidades com qualidades que acolhem e inspiram as pessoas (e, incidentalmente, atendem outras necessidades), podemos sugerir o “equilíbrio de influências” nas decisões que as pessoas tomam.

Outra influência essencial do design é garantir que um determinado uso ou atividade não se aproprie dos benefícios de um lugar e limite o desfrute desse lugar para os outros. Talvez o desafio mais significativo que isso suscite seja o de projetar nossas ruas para que elas não sejam dominadas por carros, quando possível.

Como o arquiteto e urbanista dinamarquês Jan Gehl diz“Há muito mais a caminhar do que a caminhar!” Além de nos manter fisicamente saudáveis, estimula as nossas mentes e integra-nos melhor no nosso ambiente.

Assim, precisamos privilegiar a caminhada e o ciclismo, ainda permitindo que os carros sejam um ingrediente essencial, mas não prejudicam o ambiente. Isso pode ajudar a tornar os lugares “experiência-nutritivos” oferecendo uma gama de experiências. Isso envolve projetar para atender a várias necessidades em cada local ou intervenção.

Sua dieta de experiência está deixando você doente?Um woonerf é, ao mesmo tempo, um espaço para brincadeiras, um ponto de encontro, oferece oportunidades para se expressar e experimentar a natureza como um lugar de tranquilidade e pertencimento, bem como um corredor de movimento. Jenny Donovan, Autor fornecida

Finalmente, precisamos fazer lugares “pegajosos” para que as pessoas fiquem por perto o tempo suficiente para estarem lá quando outras pessoas passarem. Não é suficiente ter muitas pessoas experimentando um lugar se elas não estão cientes das outras pessoas que o compartilham, e do fascínio, deleite e estímulo que podem ser obtidos ao compartilhar um lugar. Isso significa, entre outras coisas, criar “lugares adornáveis” que têm um valor intrínseco que também é amplificado quando as pessoas se envolvem nele.A Conversação

Sua dieta de experiência está deixando você doente?Warin o wombat: arte para alguns, plaything para os outros. Adornado por crianças aumenta a vitalidade e interesse e fornece um marco menor. Belinda Strickland, Autor fornecida

Sobre o autor

Jenny Donovan, Designer Urbana e Professora Sessional, La Trobe University

Este artigo foi republicado a partir de A Conversação sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Livros relacionados

Projetando a cidade compassiva: Criando lugares onde as pessoas prosperam

saúdeAutor: Jenny Donovan
Encadernação: Brochura
Estúdio: Routledge
Gravadora: Routledge
Editora: Routledge
Fabricante: Routledge

Comprar
Revisão editorial:

Projetando a cidade compassiva outlines an approach to urban design that is centred on an explicit recognition of the inherent dignity of all people. It suggests that whether we thrive or decline―as individuals or as a community―is dependent on our ability to fulfil the full spectrum of our needs. This book considers how our surroundings help or hinder us from meeting these needs by influencing both what we can do and what we want to do; either inspiring us to lead healthy, fulfilled lives or consigning us to diminished lives tainted by ill health and unfulfilled potential.

Projetando a cidade compassiva looks at how those who participate in designing towns and cities can collaborate with those who live in them to create places that help people to accumulate the life lessons, experiences and achievements, as well as forge the connections to meet their needs, to thrive and to fulfil their potential. The book explores a number of inspiring case studies that have sought to meet this challenge and examines what has worked and what hasn’t. From this, some conclusions are drawn about how we can all participate in creating places that leave a lasting legacy of empowerment and commitment to nurturing one another. It is essential reading for students and practitioners designing happier, healthier places.





Capitalismo Compassivo: Como as Corporações Podem Fazer o Bem como uma Parte Integral do Bem Fazer

saúdeAutor: Marc Benioff
Encadernação: Brochura
marca: Career Press, Inc.
Criador (s):
  • Alan G Hassenfeld

Estúdio: Weiser
Gravadora: Weiser
Editora: Weiser
Fabricante: Weiser

Comprar
Revisão editorial: The coauthors are uniquely suited to bring this important issue to light. Marc Benioff is CEO and chairman of Salesforce.com foundation. Salesforce.com has received the Award for Excellence in Corporate Community Service by the Points of Light Foundation and Volunteer Center National Network and the first ever U.S. Chamber of Commerce Corporate Stewardship Award. A former sales and marketing executive at Oracle Corporation, Benioff is now devoting his considerable talent and energy to building an integrated technological business and philanthropic models.




saúde
enafarzh-CNzh-TWtlfrdehiiditjamsptrues

siga InnerSelf on

google-plus-iconfacebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}

siga InnerSelf on

google-plus-iconfacebook-icontwitter-iconrss-icon

Receba as últimas por e-mail

{Emailcloak = off}